Google AdSense

Moradores reclamam de nova lista de contemplados para receberem casas


A divulgação dos nomes das famílias aprovadas para comprar a casa própria pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ gerou queixas em Leme. Muitos moradores reclamam do fato de terem os nomes retirados da lista anterior. Mais de 50 pessoas foram até a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social para descobrir o motivo de não terem sido contempladas. A Guarda Civil Municipal (GCM) precisou ser acionada para evitar um tumulto.

O secretário de Assistência Social de Leme, Paulo Valença, explicou que existem vários critérios determinados por leis para aprovar o cadastro no programa, entre eles a renda familiar, que não pode passar de R$ 1,6 mil.

“A pessoa tem que fazer o cálculo em cima do salário bruto, e não do salário líquido, então muitas pessoas não conseguem assimilar essa questão e acabam ultrapassando. Não tem o que fazer, ultrapassou os R$ 1,6 mil, a pessoa não é contemplada", explicou o secretário.

Segundo ele, também há outros critérios. "São as dívidas para a União, que é o cadastro no Centro de Abastecimento e Distribuição de Medicamentos (Cadim) que envolve multas, IPTU, IPVA e temos também o cadastro de imóveis. Se a pessoa possuiu alguma vez na vida um imóvel, terreno, em participação familiar também, essa pessoa não terá o direito”, disse.

Decepção

A agricultora Damáris Cristina Porte Silvia ficou decepcionada quando não encontrou o nome na lista. “Cheguei da roça ansiosa, entrei na internet e meu nome não estava lá. Não teve sequer uma explicação para mim”, afirmou

A dona de casa Daniela Aparecida Marques de Lima conta que entregou toda a documentação exigida. “Me deram uma senha para esperar para me atender para saber porque não foi contemplado”, falou.

Reclamações

Juliana Maria Bertolino ficou tranquila após receber um comprovante que, segundo ela, significava que a documentação estava em ordem. “Tenho uma filha especial. Pagava aluguel até o presente momento, aí fui para o fundo [da casa] da minha mãe na esperança de sair a minha casa, e não saiu”, disse.

Já Cristina Benacho Cardoso e Souza está preocupada, pois tem três filhos, dos quais um é autista. Ela queria deixar de pagar aluguel para economizar e poder cuidar melhor do filho. Agora, afirma que não sabe o que fazer. “Saiu a lista, falaram que estava tudo certo. Depois saiu outra lista em que estava meu nome e foi cancelada. Fizeram outra e não fui contemplada de novo”, justificou.

Adriana Renata Generoso afirma que não entendeu o critério. “Como é que pode estar o nome de quem já faleceu nessa lista ainda. E de quem realmente precisa da casa, nosso nome não está lá”, apontou.

Sobre a reclamação de Adriana, Valença afirma que pode ter havido engano. “Se a pessoa entregou antes de falecer toda a documentação, agora a partir dos próximos passos a gente vai saber. Então será feito novamente uma triagem onde todas as pessoas que foram contempladas terão que obrigatoriamente assinar essas atas de reuniões e todos serão feitos um a um esse pente fino”, alegou.▶(assista a reportagem no G1 São Carlos)