Moradores do bairro Altos da Santa Rita reclamam de lixo acumulado em terreno - Plantão Lemense

13/09/2015

Moradores do bairro Altos da Santa Rita reclamam de lixo acumulado em terreno

Moradores do bairro Alto da Santa Rita, em Leme, reclamam de um terreno que ocupa o quarteirão inteiro e está cheio de lixo, onde antes costumava haver um gramado. A sujeira tem atraído animais, que estão entrando nas casas. A reportagem do Jornal da EPTV esteve no local e encontrou um sofá, pia, material de construção e gesso, o que pode contaminar o solo. Além disso, também havia pneus, que podem acumular água e servir de criadouro para o mosquito da dengue.

"O projeto da Prefeitura diz que aqui era para ser uma área verde, só que de três meses para cá está virando um lixão clandestino", explicou Juliane Lourenço, auxiliar de escritório.

O lixo está acumulado em todo o terreno. Em alguns pontos, o material chega a invadir ruas do bairro e obriga os moradores a andarem fora da calçada.

Ronaldo Donizeti Kauffeman afirma que não consegue caminhar com o cachorro. "Eu passo aqui sempre e a gente vê limpo. Hoje eu vim aqui e me surpreendi com a maneira como o pessoal deixou. Então precisa da parte da Prefeitura para manter limpo, mas também da colaboração do pessoal para manter um bairro bonito", disse Kauffeman.

Com tanta sujeira, o local tem atraído muitos tipos de animais, que acabam indo para as casas. "São aranhas, ratos e na época de pernilongo é terrível, você não pode deixar nada aberto, [entra] mosquito. A gente nem deixa as crianças sair lá de casa, às vezes quer soltar pipa, eu não deixo porque cheira mal e às vezes tem caco de vidro”, contou a dona de casa Nice de Santana.

A auxiliar Juliane comenta que já fez diversas reclamações na Prefeitura e até agora nada foi feito para resolver o problema. “Eu fui até a Vigilância Sanitária, [Secretaria de] Meio Ambiente e eles dizem que vão procurar, que vão fazer e não fazem nada”, justificou. A Prefeitura informou que fará a limpeza do terreno ainda nesta semana.> (assista a reportagem no G1 São Carlos).