Publicidade

Aposentada prepara almoço de Natal para pessoas carentes no Jardim Vanessa


Enquanto muitas pessoas gostam de passar o almoço de 25 de dezembro com as famílias, a aposentada de Leme, Olivia Maria Santana trabalha desde a madrugada na cozinha industrial que construiu no fundo de casa para garantir o almoço de pessoas carentes que vivem no Jardim Vanessa, periferia da cidade. Há 22 anos, a dona de casa de 69 se dedica a fazer o bem aos que têm menos condições que ela.

Nesta sexta-feira (25), o cardápio do almoço de Natal reuniu mais de 200 quilos de frango, muito arroz, feijão, farofa e polenta, alimentos arrecadados de casa em casa durante o ano. Voluntários ajudam no preparo e na distribuição. Organizada por meio de senhas, a fila atrai a vizinhança.

Dona Olivia não sabe ao certo para quantas pessoas cozinha. Disse que dois anos atrás cerca de 380 apareceram, mas acredita que muito mais saboreiam a refeição, já que cada um leva ao menos duas vasilhas para casa. Por isso, a aposentada prepara tudo conforme a demanda. O alimento que sobra, é doado para entidades assistenciais da cidade. Nada é perdido.

A aposentada Lúcia Arton de Jesus chegou cedo com dois potes para garantir a refeição dela e da nora. "Se não fosse esse almoço, hoje em casa teria um macarrão simples, um pedacinho de frango e pronto. Nem vou precisar cozinhar, hoje é folga", brincou.

Promessa


Dona Olivia começou a trabalhar cedo. Aos 10 anos já enfrentava a rotina na roça. Problemas de saúde levaram à aposentadoria. A dona de casa também teve problemas com o filho, viciado em drogas, o marido alcoólatra. Cansada dessa situação, ela fez uma promessa pendido paz. Em troca, ajudaria pessoas carentes. “Ele [Deus] me deu essa paz, então não tem como eu falar não. É tudo arrecadado, não posso colocar nada do meu dinheiro, e depois tudo doado”, explicou.

Mesmo com todas as dificuldades, a aposentada não se lamenta dos próprios problemas. Para ela, ajudar virou a grande razão de viver e disse gostar de sentir útil e responsável pelas pessoas que precisam dela. "Não sei explicar, é algo tão lindo o que sinto, sabendo que as pessoas vão pregar e levar para casa", disse. “Vou continuar fazendo até quando tiver forças”, completou a aposentada.

Quem ajuda, também aprende com idosa. O mecânico de manutenção José Moreira disse que batalha o ano todo para conseguir doações para realizar o tradicional almoço. "A gente vê tantas tragédias por aí ao mesmo tempo a dona Olivia tentando levar essa alegria, essa felicidade para as pessoas. É isso o que ainda me faz acreditar, em pessoas boas como ela”, disse.


Fonte: G1 São Carlos