Leme tem o preço médio do litro do etanol mais barato do Estado - Plantão Lemense

12/12/2015

Leme tem o preço médio do litro do etanol mais barato do Estado


A última pesquisa da Agência Nacional de Petróleo mostra que o preço médio do etanol em Leme, SP, é o menor do Estado de São Paulo, saindo por R$ 2,41 o litro. A concorrência entre os postos alivia o bolso dos motoristas que buscam economia em época de crise.

A reportagem do Jornal da EPTV confirmou os preços e encontrou etanol a R$ 2,49 e até de R$ 2,39 o litro. “A gente chama isso de economia de mercado. Como o mercado consumidor hoje está muito baixo isso vai trazer muita dificuldade para o comerciante, então eles podem até passar para um lucro menor para poder ganhar em quantidade”, explicou o economista Léo Carrille.

Preços

É justamente isso que esta sendo feito na rede de postos onde o gerente Jocimar Sardinha trabalha. “A gente acaba vendendo em média mais de 30 mil litros de álcool por dia nos 6 postos da rede. Comprando em quantidade maior a gente acaba conseguindo uma negociação melhor”, disse.

Mas na prática ele está vendo a situação apertar. Em agosto, ele comprava o litro do etanol por R$ 1,42. No último pedido, em dezembro, já subiu para R$ 2,03. Apesar disso, ele não pensa em repassar para o cliente. “De 40% que subiu, uns 20% não teve jeito e tivemos que repassar. Se subir o preço diminui a venda”, explicou.

Diferenças

A diferença de centavos atrai muita gente como o representante comercial Marrcos Mercadante. Ele trabalha viajando pela região e está sempre pesquisando os preços. “Eu chego de viagem a tarde e abasteço para o dia seguinte”, disse.

Na batalha pelos clientes, vale concorrência até dentro da mesma rede de postos. Em um posto na rodovia o litro sai por R$ 2,27, 12 centavos mais barato que o posto no Centro. “É muita concorrência, então com preço menor a gente consegue uma clientela maior”, afirmou a gerente Cristina Montes.

O representante comercial Donizete Aparecido de Souza deixou de abastecer na cidade para encher o tanque já na estrada. “Eu gasto muito combustível. Ando 1 mil quilômetros por semana, então tenho que abastecer no lugar que tem o preço menor e um combustível que a gente conheça”, destacou.

Fonte: G1 São Carlos