Google AdSense

Peça de Bertolt Brecht acontece no Museu Histórico Municipal neste sábado (26/03)

Peça de Bertolt Brecht celebra parceria entre os Governos de Leme e de Araras e inaugura o projeto "Vá ao Teatro"

Evento acontecerá no sábado (26) às 20:00 horas no Museu Histórico Municipal Prof. Celso Zoega Tábuas e terá direção do prestigiado ator e diretor Mussa Daniel

O Governo de Leme, em parceria com o Governo de Araras, inauguram juntos esta semana o projeto "Vá ao Teatro", de iniciativa das pastas da cultura de ambas as cidades, para consolidar a arte dramática definitiva como acessível a todos os públicos, e, despertar o espírito crítico através dos elementos simbolísticos e políticos trazidos pela genialidade efusiva de Bertolt Brecht, na peça "Vila do Cachorro".
Mussa Daniel, ator e diretor consagrado, que viveu na Itália, onde estudou dramaturgia e especializou-se na nobre arte, terá a incumbência de dirigir a peça, e, traduzir para o povo lemense toda verve inteligente por detrás desta obra.

Neto Cardozo, um dos entusiastas do teatro e Secretário de Cultura da cidade de Leme, não poupa elogios ao espetáculo: "A peça de Brecht é tão contemporânea e tão ruptora, que foi capaz de descontinuar o enredo do teatro e apresentar a máscara por detrás da máscara. É como estar sentado em um enorme cenário cheio de milhares de cadeiras, e, alguém no palco nos dissesse: - Senhoras e senhores, tudo isto é uma mentira. Somos todos fantoches de um nada e temos na arte o escapismo de ser e existir diante de um sistema que nos impune regras", enfatizou.

Para Mussa Daniel, a amplitude de Brecht alcançou outras formas, tendo até mesmo tradução no cinema através de Lars Von Trier (Dogville), Louis Buñuel (Via Láctea, O Anjo Exterminador) e Alan Parker (The Wall - O Filme). Em suas palavras: "Romper com o intoxicado cinema catártico, a exemplo do que fez Brecht no teatro, recriando vida em cada vida e sem sequência, fez de Dogville um filme diferente. A canção 'Jehnny e os Piratas', por exemplo, inspira o argumento do filme, cedendo-lhe a imagem da moça explorada por toda cidade e a de uma vingança sob as nuvens da aniquilação. Mas há por detrás do pano de fundo de Brecht, todo simbolismo também na grande e genial obra de Parker, quando este conceituou o disco 'The Wall' do Pink Floyd para os cinemas, além do próprio Buñuel com o surrealismo translúcido de enxergar o mundo por meio dos filmes 'Via Láctea' ou 'O Anjo Exterminador'. Enfim, são muitas e muitas influências e semelhanças de Brecht para a arte num todo. Sinto-me aqui honrado em receber este desafio de dirigi-lo, e, vergastar e atualizar a sua representação do mundo como ele é visto, por meio de personagens muitas vezes marginalizados na sociedade".

Fonte: Secretaria de Comunicação Social 
Prefeitura do Município de Leme