Publicidade

Estudantes de Leme conquistam medalha e menção honrosa na Olimpíada de Matemática na Tailândia


Três alunos do 3º ano do ensino médio de Leme conquistaram duas medalhas de bronze uma menção honrosa na Ásia International Mathematical Olympiad (AIMO), olimpíada de matemática que terminou na terça-feira (7) em Bangcoc (Tailândia). A competição reuniu 1,5 mil estudantes de 16 países.

Doze alunos da Escola Técnica Estadual Deputado Salim Sedeh foram selecionados para a competição internacional após conquistarem medalhas de ouro estadual e prata nacional na Olimpíada Internacional de Matemática Sem Fronteiras em abril deste ano.


Os estudantes precisavam de R$ 150 mil para pagar as inscrições e as demais despesas com passagens e hospedagens. Para isso, eles criaram uma vaquinha virtual e contaram com ajuda de familiares, amigos e empresários da cidade. Como conseguiram apenas R$ 44 mil do valor que almejavam, eles fizeram uma votação para escolher os três alunos que viajariam com o professor Rafael Zoccoler.

"Levamos em conta os conhecimentos matemáticos, esforços durante a fase de arrecadação e fluência na língua inglesa", explicou Samuel Henrique de Almeida, de 17 anos, um dos ganhadores da medalha de bronze.

O estudante contou que teve duas horas para resolver a prova com 30 problemas apresentados em inglês e chinês. "Na questão de dificuldade, assemelha-se à Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), com uma complexidade um pouco maior ao combinar diversas áreas da matemática em um único problema", disse.

Samuel, que aprendeu a gosta de matemática influenciado pelo pai, disse que não acreditava na possibilidade de ser premiado. "Estou extremamente feliz, foi uma experiência incrível. Certamente a próxima equipe da Etec a participar desta prova poderá se aproveitar de nossos conhecimentos e atingir resultados ainda melhores", declarou.

O estudante Manoel José da Silva Neto, de 18 anos, ganhou menção honrosa na competição que, na avaliação dele, é bem difícil.

"Aplaudi meus colegas de pé e fiquei feliz de ver que depois de tanta dificuldade ainda conseguiram honrar nosso país. Mas também fiquei triste por não ganhar, isso mostra que tenho que cobrar mais de mim mesmo", ressaltou.

O jovem aproveitou para lembrar dos colegas de classe que não puderam ir à competição e à ajuda que recebeu dos professores. "Espero que sirvamos de inspiração a todos que desejam fazer isso um dia". 
CURTA A PÁGINA DA EQUIPE 

A representante do colégio de Leme Angélica Modesto dos Santos disse que os alunos sempre obtiveram destaque em olimpíadas, seja na Matemática sem Fronteiras ou na Obmep. Para ela, saber dessa nova conquista foi um misto de ansiedade, orgulho e felicidade.

"Participar dessa jornada com eles mostrou o quanto é importante unir forças. Desde o início, acreditei que seria possível, mas nada fácil. Com o apoio do empresariado local, pessoas físicas e a da nossa unidade escolar, conseguimos alcançar o nosso objetivo: representar o Brasil em uma Olimpíada Internacional de Matemática", concluiu. Fonte: G1 São Carlos

COMENTE:

0 Comentários