Publicidade

Familiar de jovem assassinada no Jardim Vanessa diz que vítima recebia ameaças

Uma mulher de 18 anos foi morta por espancamento, na manhã do domingo (12), em Leme.

Segundo as primeiras informações da Polícia Civil, dois homens entraram na residência de Caroline Yasmin da Silva Miranda, no bairro Jardim Vanessa, e começaram a agredi-la.

A sogra dela que estava estava na casa também foi agredida. Nada foi roubado.

Após cometer o crime os homens fugiram do local. Até o momento ninguém foi preso.

Segundo a polícia, a jovem era mulher de um menor que está apreendido por tráfico.


A vítima era namorada de um menor que está apreendido por tráfico de drogas. Ambos estavam sendo ameaçados, mas não revelaram o motivo para os parentes. “Eles estavam assustados. Mas se a gente perguntava, falavam que não era da nossa conta. Que 'tava de boa'”, disse o familiar.

Caroline foi assassinada após uma dupla invadir a casa onde ela morava com a sogra e o sogro.

“A sogra dela contou que os dois pularam lá dentro, quebraram a porta e um colocou a arma na cabeça dela na sala. O outro foi no quarto com uma barra de ferro e começou a bater na Carol em cima da cama”, contou o familiar.

A sogra disse ainda que o homem que estava com a arma perguntou para o outro se deveria matá-la.

“O outro disse que não, que já tinham feito o que precisava fazer, que era só para apagar”. Então a sogra de Caroline também foi agredida até desmaiar.

Criminosos sabiam da rotina

De acordo com o familiar de Caroline, os bandidos sabiam da rotina da casa e esperaram o pai do namorado da jovem sair para trabalhar para invadirem a casa, por volta das 6h30.

“Assim que ele saiu é que aconteceu. Essas pessoas já faziam um tempinho que estavam seguindo eles, sabiam da rotina da casa porque se encontrassem o sogro lá dentro ia ficar um pouco mais difícil para eles fazerem o serviço, ia ter mais barulho”, afirmou.

Segundo o familiar de Caroline, o namorado dela, um adolescente de 17 anos se entregou para a polícia e foi apreendido por tráfico de drogas uma semana antes do crime. Os dois estavam juntos desde o início do ano. Ele está na Fundação Casa de São Carlos e deverá ser ouvido pela polícia. Fonte: G1 São Carlos

COMENTE:

0 Comentários