Faixas de pedestre que terminam em mato e em barranco viraram meme em Leme - Plantão Lemense

02/03/2019

Faixas de pedestre que terminam em mato e em barranco viraram meme em Leme



A pintura de faixas de pedestres que dão em matagal e barranco, em Leme viraram motivo de piada e memes nas redes sociais. O caso repercutiu após o serviço ser finalizado no sábado (23), na Rua Ladislau Domingues Briones, no bairro Isabel Cristina.


A prefeitura informou que as obras foram feitas pela empresa ganhadora de uma licitação de 2015 e que projeto foi pedido e homologado pela gestão anterior.

O ex-secretário de Obras e Planejamento Urbano, Ademir Donizeti Zanóbia, negou a afirmação, disse que investigará o caso e tomará as medidas cabíveis.

Em nota, a prefeitura de Leme, através daSecretaria de Segurança, Trânsito, Cidadania e Defesa Civil e o Núcleo de Fiscalização de Trânsito, informaram que a execução das faixas de pedestres são resultados de um convênio firmado em 2013 com o Governo Federal, através da Caixa Econômica Federal, pelo então secretário de Obras e Planejamento Urbano, Ademir Donizeti Zanóbia.

O projeto de recape foi feito através de processo licitatório e homologado em exercício em 2015, também por Ademir Donizete Zanóbia, prefeito em exercício.

Segundo a nota, após as diretrizes do projeto de recape, no qual constava as faixas de pedestres no processo licitatório estabelecido pelo Secretário de Obras e Planejamento Urbano em 2015, torna-se obrigatória a sua execução pela empresa vencedora da licitação.

A nota afirmou ainda que "tais faixas de pedestres não foram realizadas pela equipe do Núcleo de Trânsito e sim pela empresa que venceu a licitação em 2015 e executou o serviço conforme as diretrizes estabelecidas pelo então Secretário Ademir Donizete Zanóbia".

A prefeitura, no entanto, não informou se as faixas serão mantidas no local.

Ex-secretário nega

Em entrevista ao G1, o ex-secretário, ex-prefeito e advogado Ademir Donizeti Zanóbia afirmou que as informações passadas pela prefeitura não condizem com a realidade e que não tem conhecimento sobre essa licitação.

De acordo com Zanóbia, os projetos de obras são assinados por engenheiros e uma equipe técnica competente que avalia a necessidade do local para receber as obras.

Ainda segundo o advogado, ele não havia assumido a prefeitura quando o projeto foi homologado, pois sua gestão teve início em maio de 2015.

Zanóbia disse ainda que não está na cidade, mas assim que voltar, investigará o caso e tomará as medidas cabíveis, pois não concorda com a acusação. Fonte: G1 São Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário